jc
Aprendizagem

Deputada Sofia irá lutar contra as medidas que acabam com a Aprendizagem Profissional

"Vamos reagir ao Decreto 11.061/22 e à Medida Provisória 1.116/22 que institui o programa "Emprega + Mulheres e Jovens", publicadas nesta quinta-feira (05) pelo governo Federal acabando com as cotas para as empresas que incluem jovens aprendizes". A declaração é da deputada estadual Sofia Cavedon (PT) que recebeu na manhã desta sexta-feira (06) as representantes do Fórum de Aprendizagem Profissional da Serra Gaúcha e a vereadora Rose Frigeri (PT), de Caxias do Sul.

11/05/2022 15h12
Por: Fernando Gadret
Fonte: Marta Resing
17

 

"Vamos reagir ao Decreto 11.061/22 e à Medida Provisória 1.116/22 que institui o programa "Emprega + Mulheres e Jovens", publicadas nesta quinta-feira (05) pelo governo Federal acabando com as cotas para as empresas que incluem jovens aprendizes". A declaração é da deputada estadual Sofia Cavedon (PT) que recebeu na manhã desta sexta-feira (06) as representantes do Fórum de Aprendizagem Profissional da Serra Gaúcha e a vereadora Rose Frigeri (PT), de Caxias do Sul.

 

A deputada informa que foram definidos como encaminhamentos de resistência a realização de Audiência Pública na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, reunião com a Seduc/RS e visita a escola que oferece educação profissional.  "O impacto dessas medidas da presidência da República ataca frontalmente o Instituto da Aprendizagem Profissional e, em consequência, prejudica o acesso de milhares de jovens à aprendizagem profissional em todo país", salienta Sofia.

 

Conforme as representantes do Fórum, Denise Brambila Gonzáles, Auditora Fiscal do Trabalho e coordenadora da Aprendizagem Profissional no RS; Sônia Sbersi, coordenadora Administrativa da Escola Família Agrícola da Serra Gaúcha (EFASERRA); e a vereadora Rose Frigeri, de Caxias do Sul, "o Governo Federal divulgou informações ilusórias levando a sociedade acreditar que o Projeto irá gerar milhares de novas contratações, o que é uma inverdade, pois concede aos infratores o indulto e autoriza o não cumprimento da cota das empresas que atualmente incluem jovens aprendizes", denunciam.

 

As medidas levaram os Auditores-Fiscais do Trabalho, servidores de carreira do Ministério do Trabalho e Previdência, e Coordenadores de Fiscalização de Aprendizagem Profissional nas 27 unidades da federação do País formalizarem a entrega coletiva da função de Coordenador de Fiscalização de Aprendizagem Profissional, em razão dos ataques promovidos pelo Governo Federal ao instituto da Aprendizagem Profissional e à Fiscalização do Trabalho contidos nas respectivas normativas recentemente editadas.

 

PoA 06/Maio/22

Fonte: Deputada Sofia Cavedon - 51 998965729

Jorn. Marta Resing- 51.996770941

Foto Denis Soarescc