jc
Educação

Espírito nobre e gentil!

As possibilidades de passatempo, divertimento e serviços anti estresse, surgiram para uma geração sem preparo suficiente em entender na fria que podem estar se metendo.

Raul Tartarotti

Raul TartarottiCrônicas Semanais

25/04/2022 15h57
Por: Fernando Gadret
Fonte: Raul Tartarotti
25

As possibilidades de passatempo, divertimento e serviços anti estresse, surgiram para uma geração sem preparo suficiente em entender na fria que podem estar se metendo.
Nossos jovens, recém saídos da criancice, descobriram como se deleitar com um pouco de droga auditiva. A chamada I-doser, que é apenas um programa de computador, é febre entre os adolescentes vidrados na ‘internet’ das coisas. Ele existe no mercado há muitos anos, e supostamente produz “doses” de ondas sonoras, com objetivo de interferir no cérebro do usuário, e simula o efeito de várias drogas reais.
Ao invés de levarem uma vida plena com atividades inerentes a sua pouca existência, esses jovens estão comprando doses para ministrar em suas cabeças ingênuas, e ficar fora do ar por alguns minutos. Essas doses são pagas, e seu uso é limitado. O programa foi desenvolvido através de uma técnica conhecida como ondas binaurais, que emitem sons que alteram a frequência do cérebro. As mais conhecidas são Gate of Hades e Hand of God, que tiveram alta repercussão na ‘internet’. Há também amostras grátis no site, assim o jovem pode ir pegando o gostinho da viagem.
Se deixarmos nossas crianças decidirem suas escolhas sozinhas desde cedo, elas correm um grande risco de cair nas armadilhas do mal, que anda a busca dos incautos. Deixar os jovens a seu próprio governo é um descaso com consequências similares a maus tratos. E a história, nem sempre contou gestos atenciosos com suas novas gerações, as dores do suor de um trabalho prematuro, realizado sem preparo suficiente, destroçaram a saúde física e mental das crianças nos anos 1840 na Inglaterra, apagando suas possibilidades de futuro cheio de sonhos. Aquela vida escravizada aconteceu devido à pobreza da família e da fome do capitalismo. Nas minas de carvão, o pequeno ser com 12 anos de idade, magro, esfomeado, pobre, e sem outra possibilidade de cuidar de sua vida, carregava pedras pra ajudar no sustento da família. Até os 22 anos, que era a expectativa de vida operária naquela época, o homem jovem se esfacelava diariamente, destruindo suas chances de viver plenamente; deixava a vida muito cedo, sem nenhum sentido, e com os pulmões totalmente comprometidos.
As escolas dos pobres, frequentadas pela minoria, apresentavam professores ineptos, que se dedicavam ao ensino porque já não poderiam mais trabalhar na indústria, e não dispunham de formação moral necessária ao educador.
Nossas crianças têm fragilidade a flor de suas carinhas, doces e bochechudas, que por vezes nos deixam bobos e praticamente hipnotizados de paixão por sua beleza.
As atenções deveriam ser redobradas em todas as épocas, pra que o futuro que surgirá dessas mãos criativas possa ser repassado às próximas, e assim as gerações vindouras teriam mais garantias de pleno sucesso e brilhantismo.
Os cuidados oferecidos pelos mais velhos ou mais experientes, sempre são a base para o futuro dos menores que estão chegando, essa é a obrigação do adulto carregado de espírito nobre e gentil.