jc
Covid19

Fechamento de turmas de EJA gera resistência da comunidade escolar

Após audiência pública para tratar do fechamento de turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) em diversos municípios gaúchos, realizada em 22/3 por proposição da deputada Sofia Cavedon (PT), ex-presidente da Comissão de Educação da ALRS, a parlamentar junto com a comissão de representantes das escolas atingidas reuniram-se com a Defensoria Pública nesta sexta-feira (26) para tratar do tema.

29/03/2021 09h39
Por: Fernando Gadret
Fonte: Jornalista Marta Resing
231

Após audiência pública para tratar do fechamento de turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) em diversos municípios gaúchos, realizada em 22/3 por proposição da deputada Sofia Cavedon (PT), ex-presidente da Comissão de Educação da ALRS, a parlamentar junto com a comissão de representantes das escolas atingidas reuniram-se com a Defensoria Pública nesta sexta-feira (26) para tratar do tema.

Em videoconferência a Dra. Andreia Paz Rodrigues ouviu os argumentos da comunidade escolar e informou que na terça-feira (30) já tem reunião com o Conselho Estadual de Educação (CEEd) e que continua tentando reunião com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc). A Defensora Pública também estuda a realização de várias ações pelo Estado. "As questões são muitas: transporte, matrículas, alimentação escolar, acesso digital. Encaminhamos uma recomendação de abertura das matrículas da EJA para a Seduc e atuamos também com o grupo de trabalho com o Tribunal de Contas. Vamos incluir o tema das EJAs e a terceirização da educação", disse.

Em sua manifestação, a deputada Sofia destacou que tem sido muito procurada para denunciar o fechamento das turmas de EJA. "A oferta da EJA deve ser permanente. A matrícula deve ser garantida durante todo o ano" ressalta ela afirmando que "assim como no ensino fundamental, a garantia de ingresso na escola deve ser permanente. O Observatório da Educação demonstra a queda na oferta da EJA nos Ensinos Fundamental e Médio. É impressionante a redução de matrículas". Sofia informou que também solicitou reunião com a Seduc e propôs que as escolas solicitem agenda direto com a sua CRE. "Também já solicitamos ao Ministério Público, vacinas, EPIs corretos e transparência nas informações sobre contaminação nas escolas", salientou a parlamentar.

A estimativa da coordenação colegiada do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio Grande do Sul indica uma redução de, pelo menos, 40% das turmas desta modalidade de ensino na rede estadual.

Participaram da reunião Mauro Rogério Amaral, do 24º Núcleo do CPERS; Fábio Padilha, diretor do IEE Assis Brasil, Pelotas; Alan Buzzatti, da EE Professora Edna May  Cardoso, Santa Maria; Mirza Nunes, da EEEB Lauro Dornelles, Alegrete.
 
PoA, 28/Março/21
Fonte: Deputada Sofia Cavedon - 51 998965729
Jorn Marta Resing - 51 996770941
Foto Marta Resing
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.